Síndrome do Ovário Poliquístico

Mário Gonçalves
Naturopata

A Síndrome dos Ovários Poliquísticos (SOP) é uma desordem endocrinológica muito comum em mulheres em idade fértil. As mulheres com SOP apresentam desequilíbrios hormonais que se podem manifestar numa variedade de sintomas. Os mais comuns são a irregularidade dos ciclos menstruais, excesso de pelos, acne, obesidade, infertilidade, resistência insulínica (risco de diabetes) e doença cardiovascular. Na comunidade científica é comummente aceite que a mulher com diagnóstico de SOP tem maior probabilidade de vir a ter, precocemente, cancro do endométrio ou apneia do sono. A terapêutica convencional atual desconsidera a abordagem do sistema antioxidante e anti-inflamatório, e dos desequilíbrios e deficiências micronutricionais de que essas mulheres, cronicamente padecem. São pacientes que podem apresentar sintomas ao longo da vida, com superiores riscos associados, especialmente durante a gravidez. Portanto, é de vital importância abordar precocemente os sintomas clínicos (mesmo que a mulher seja, ainda, adolescente) e trabalhar nas causas e nos mecanismos atualmente conhecidos e subjacentes à Síndrome do Ovário Poliquístico. A evidência científica indica-nos três cenários a ter em conta: níveis insuficientes e desequilibrados de micronutrientes no organismo (pela baixa ingestão, má absorção, maiores necessidades, polimorfismos genéticos ou elevada excreção renal), stress (crónico e oxidativo) e inflamação. Para fortalecer a função hormonal, a saúde cardiometabólica, a saúde mental e prevenir as consequências negativas da SOP, a abordagem micronutricional correta deve incluir micronutrientes básicos de apoio ao funcionamento do sistema antioxidante e anti-inflamatório, que ajudem a otimizar o ciclo menstrual e os níveis de globulina associada às hormonas sexuais, que apoiem a síntese de glutationa, que otimizem a função mitocondrial e que aumentem níveis enzimáticos. A terapêutica adequada não pode prescindir de vitaminas, inositol, minerais, coenzima Q10, ácido alfa- -lipóico, ácidos gordos, colina, aminoácidos essenciais, nicotinamida, triptofano e outros micronutrientes. É fundamental trabalhar hábitos alimentares com dieta adequada e restrita em hidratos de carbono simples, incrementar a atividade física e melhorar o estado emocional. A suplementação micronutricional, indispensável na fase de tratamento e recuperação, como o próprio nome indica, é um complemento extraordinário.

Mário Gonçalves
Naturopata

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Publicidade-donativos

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

No data was found