Suinicultores protestam no Tribunal depois de detenções

Foto por Sara Susano

Cerca de cem suinicultores reuniram-se no Tribunal de Alcobaça, na passada quinta-feira, dia 21, em solidariedade com os dois suinicultores detidos na terça-feira, dia 19.
Mais de uma centena de produtores tinham-se concentrado no dia 19, ao início da tarde, na Benedita, em protesto contra a situação do setor, decidindo rumar à empresa Carnes Nobre, em Rio Maior, para uma arruada. “Não conseguimos vender os nossos animais: para além do preço a que nos pagam os animais, que é muito abaixo do preço de custo, não os conseguimos vender e quando nos deslocamos às unidades de transformação para alertar que não estamos a conseguir vender os animais somos recebidos com polícia de choque como aconteceu em Rio Maior”, disse a’O ALCOA Rui Anselmo, suinicultor, secretário da Associação de Agricultores da Região de Alcobaça e diretor da Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores no concelho de Alcobaça. Para além da presença da polícia de choque à chegada à empresa Carnes Nobre, cerca das 20h30, os manifestantes decidiram despejar um monte de brita no Itinerário Complementar (IC) 2, antiga Estrada Nacional 1, na Venda das Raparigas, levando à intervenção de dezenas de policiais da Guarda Nacional Republicana (GNR). Um segundo corte de estrada foi provocado pouco depois, este no cruzamento para a Benedita, junto à empresa Benecar. A remoção do material ocorreu rapidamente, com uma máquina da Junta de Freguesia da Benedita. “Temos estradas em tão mau estado que mal conseguimos passar de carro e a junta diz que não tem tempo nem pessoal para as reparar e agora já tem uma máquina para fazer este serviço”, reclamou Rui Anselmo. Na ocasião, dois manifestantes foram detidos, tendo um deles ficado ferido durante os confrontos com a GNR, cerca das 23h30, durante um terceiro corte da estrada, com novo despejo de brita a interromper o trânsito. Dinis do Carmo, de 25 anos, e Luis Rodrigues, de 51, foram constituídos arguidos, acusados dos crimes de injúria agravada, resistência e coação, e vão aguardar com termo de identidade e residência o julgamento no Tribunal de Alcobaça, que terá lugar no dia 9 de maio.
O presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Paulo Inácio, e o presidente da Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores, Vítor Menino, também marcaram presença no Tribunal de Alcobaça, na quinta-feira, dia 21.

(Saiba mais na edição em papel e digital de 28 de abril de 2016)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Candidaturas abertas

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

Porto de Mós. O projeto do baile dos pastorinhos

08 Mai | Sáb | 09:00

Leiria. O festival de música

15 Mai | Sáb | 19:30

Teatro José Lúcio da Sílvia, Leiria

Porto de Mós. Caminhada nas Minas da Bezerra e Serra da Pevide

08 Mai | Sáb | 09:30

Serra de Aire e Candeeiros, Porto de Mós

Caldas da Rainha. A exposição da ESAD

06 Mai | Qui | 09:00

ESAD, Caldas da Rainha

Leiria. Conferências de saúde, de economia e de ambiente

05 Mai | Qua | 14:30

Teatro Miguel Franco, Leiria

Alcobaça. Biblioteca convida à conversa com…

10 Abr | Sáb | 11:00

online