Boa colheita de azeitona leva azeite tradicional à mesa

Foto por Daniela Ferreira

O Lagar do Zambujal, nos Carris de Évora, é um dos poucos que resta no concelho e que ainda transforma o azeite “à moda antiga”. António Vicente Francisco, de 74 anos e mais conhe-cido como António Palmiro, comprou o lagar onde traba-lhava há mais de 30 anos, tendo realizado obras, em 2001, para melhorar o espaço. Mas o processo de fazer o azeite continua o mesmo. Recebe as colheitas de tantos produtores que perde a conta para quantas pessoas faz azeite.
No lagar, um moinho tritura a azeitona e transforma-a em massa que é depois colocada em capachos, uma espécie de tapete plano e fino feito a partir de fibras. Os capachos vão depois às prensas, onde são espremidos, sendo retirado todo o azeite. Por último, o líquido passa por outra máquina que separa a água do azeite.

 

(Saiba mais na edição em papel de 12 de dezembro de 2013)

3 respostas

  1. Olá boa tarde felicito à direção a iniciativa de promover as tradições da zona, numa altura em que somos consumidos pelo Marketing abusivo e não elucidativo do comércio principalmente no que toca à alimentação pouco ou nada se diz sobre realmente o que estamos a colocar no nosso organismo levando todo o consumidor erradamente a pensar que está a fazer o melhor pelo seu corpo quando na verdade só se está a intoxicar com substancias como corantes, conservantes etc. É bom saber que ainda existe uma produção tradicional que não foge á filosofia iniciada da qualidade e segurança pois produzir azeite vai muito além do que se vê na embalagem como a cor verde dourado magnifica que nos vemos; pois fazer azeite de qualidade significa respeitar o manuseamento da azeitona para poder produzir um azeite rico nutricionalmente e é esta a filosofia deste Lagar cujos proprietários o Sr. António Vicente e Laurinda Vicente incansavelmente produção após produção nos surpreende com um azeite que sacia o nosso paladar e enaltece os nossos sentidos pelo seu paladar e aroma.
    Bem isto já daria para outra reportagem mas colocando os reais proprietários que tantos esforços unem para manter a tradição.

    Luisa Vicente

  2. EU NAO SENDO DA FAMLIA VICENTE..TAMBEM NAO ACHEI JUSTO NAO POREM NA CAPA DA NOTICIA..AS FOTOS DOS DONOS DO LAGAR..EM ESPECIAL DA D.LAURINDA VICENTE…K E UMA MULHER DE ARMAS ….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PRIMEIRA PÁGINA

PUBLICIDADE

Candidaturas abertas

NOTÍCIAS RECENTES

AGENDA CULTURAL

Alcobaça. Biblioteca convida à conversa com…

10 Abr | Sáb | 11:00

online

Encontros em Rede: Reimaginar os Museus a 26

05 Abr | Seg | 15:00

Página de facebook da Rede Cultura 2027