Atual

Coz. DGPC esclarece atraso na classificação do mosteiro

DSC_0043_2

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) confirma o pedido de elevação do Mosteiro de Santa Maria de Coz a monumento nacional.
A Igreja de Santa Maria de Cós está classificada como imóvel de interesse público desde 1946. Em 2016, como refere a DGPC, deu entrada um requerimento da Câmara de Alcobaça “visando a ampliação da classificação existente, alargando-a a todo o Mosteiro de Santa Maria de Coz, de modo a abranger a parte restante (ruína) da ala das celas, bem como a reclassificação desta para a categoria de monumento nacional”. Por sua vez, aquela direção-geral deu provimento ao “pedido de ampliação da classificação da Igreja de modo a abranger a ruína da ala das celas”, mas apenas na categoria de monumento de interesse público, o que não agradou à autarquia, que reclamou. A DGPC considerou que a alteração da graduação para monumento nacional poderia justificar-se para a igreja, mas não para o conjunto, “perante a necessidade de a considerar na sua relação com a ruína anexa”, para mais “sem que estivessem terminadas as sondagens arqueológicas no local e reconstituída a narrativa do que seria a totalidade do cenóbio e da cerca monástica”. Face à proposta de indeferimento da reclamação camarária, a diretora-geral remeteu o processo à Secção do Património Arquitetónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura, para emissão de parecer.

Outras notícias em Atual