Opinião

Banner_FlemingOliveira

Lidar com o (des)emprego

Por que é tão difícil lidar com o desemprego? Quando conhecemos uma pessoa, uma das primeiras perguntas que fazemos é: Onde é que você trabalha? O que é que você faz?

Parece que muito do valor de cada um, encontra-se diretamente relacionado com o seu trabalho. O trabalho é a identidade. O que se faz torna-se no que se valoriza! Quem perde um emprego ou enfrenta uma mudança de carreira, muitas vezes sente-se como se tivesse perdido o valor. Lidar com o desemprego pode gerar uma profunda e insanável crise de identidade.

M…. perdeu o emprego que tinha há vinte e cinco anos, depois que a fábrica foi deslocalizada para as bandas do Oriente. Enquanto trabalhava, tinha orgulho e satisfação (ia ver o Benfica e depois bebia um copito), valorizava a experiência, a longevidade da carreira e as capacidades.

Agora, nada disso existia mais.

De repente, aquelas coisas que tinham sido tão importantes, não valiam nada. Quando perdeu a carreira, M… sentiu-se como se tivesse perdido muito mais do que apenas um trabalho, ficou perturbado e com tão profunda depressão, que nenhum Valium o ajudou.

Deixou de estar certo sobre quem passara a ser ou se tinha a capacidade de fazer alguma coisa. A autoestima foi destruída. Qual é o valor da sua vida agora? A vida parecia sem sentido.

M…  pergunta-se se o Poder se preocupa com a sua situação.

Mais de dois ou três anos depois de o País ter entrado no pior período de estagnação que conheceu, aconteceu uma coisa estranha e perturbadora no discurso político português. O Governo parece ter perdido o interesse por este desempregado, se não pelos desempregados.

De vez em quando a maioria, tal como a oposição, fala de emprego. Ou desemprego. Apesar disso, não se vislumbram medidas com o objetivo de criar emprego, planos com esse fim, pois a política (à portuguesa), de maneira geral, parece concentrada em reduzir a despesa.

Outras notícias em Opinião