Opinião

Banner_MarcoClemente

Mais Saúde!

Em tempo de crise, a saúde tem sofrido muitas mudanças, com alguns sinais de estar doente. Os profissionais estão desmotivados, os cortes parecem ser a direito, os doentes reclamam melhores cuidados. Por um lado, quem gere as finanças da saúde debate-se com a necessidade de reduzir custos. Por outro, cuidar bem implica tempo para dedicar ao doente e acesso aos meios disponíveis.
Com muito para corrigir, não pensem os utilizadores do sistema de saúde que não têm um papel ativo também! O direito à saúde começa pela autorresponsabilização. O sistema paternalista em que o doente se desresponsabiliza e se entrega nas mãos do profissional de saúde deve dar lugar a um sistema em que os profissionais são conselheiros e o doente tem o principal papel na gestão da sua própria saúde. E isso começa com a prevenção!
Hoje sabemos como ter um estilo de vida saudável, as vantagens do exercício físico e como comer bem. A informação está disponível: na comunicação social, na internet, nas redes sociais. Só se expõe ao risco quem quer.
A aposta deve ser na responsabilização de cada um pela sua própria saúde. O Estado e as instituições de saúde podem e devem ser motor desta mudança, apostando na prevenção. As autarquias devem incentivar ao máximo a adoção de estilos de vida saudável, por exemplo, através de projetos como a Rede de Cidades Saudáveis. As unidades de saúde públicas e privadas também têm esta responsabilidade social. Por fim, mas provavelmente o mais importante, a população em geral deve responsabilizar-se e ter iniciativas neste sentido. Excelente exemplo são as tribos urbanas que têm “tirado” muitas pessoas do sofá, levando-as a praticar exercício na rua e a conviver. Isto é saúde!
A União Europeia lançou o desafio de aumentar a esperança média de vida em 2 anos até 2020. Estado, autarquias, unidades de saúde, associações desportivas e recreativas e cidadãos: juntos conseguiremos alcançar este objetivo benéfico para todos! E já agora… mantendo a sustentabilidade financeira!

Outras notícias em Opinião

  • A força de um discurso

    Notável peça de oratória. O discurso do Cardeal D. Tolentino Mendonça, no dia 10 deste mês, tem de tudo: história, filosofia, poesia, teologia… Já tive…

  • Extraordinários. Basílio Martins

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. “O meu general”. Assim lhe chamava o…

  • Recomeço das missas em comunidade presencial

    Depois de todo este tempo em confinamento, durante o qual estivemos privados do acesso direto à Sagrada Eucaristia, todos celebrámos, com muita expectativa, a possibilidade…

  • Consultório de Psicologia

    Tenho filhos em idade escolar que precisam de apoio ao estudo. Como posso apoiá-los de uma forma eficaz? Caro leitor, cara leitora, As crianças são…

  • Os Choctaw e a Covid

    A tribo dos índios Choctaw é a terceira maior tribo de índios norte-americanos, logo depois das tribos Cherokee e Navajo. Entre os anos 1830 e…

  • Joana do Mar

    Isolamento… Quarentena… Distância… Palavras estas mencionadas tantas vezes recentemente, mas que na realidade fazem parte da vida de emigrantes. O meu nome é Joana do…

  • Tempos conturbados e a política do momento

    Caro/a Munícipe, Não estamos a viver num período de normalidade politica e a potencialidade libertadora da internet e da democracia soam um pouco a ingenuidade,…

  • Extraordinários. Joaquim Augusto de Carvalho

    Neste 2020, em cada edição, pessoas extraordinárias em algum aspeto da sua vida, com ligação à nossa região. Quando podem chegar a Portugal, se aprovado…

  • Afinal o que é a “dieta”?

    Diariamente as pessoas colocam a palavra dieta no seu discurso. Dieta para aqui, dieta para ali! Dieta disto, dieta daquilo! Certamente já ouviu a expressão:…

  • O futuro das coletividades durante e pós pandemia

    É nesta altura que todos temos que refletir sobre o estado e o futuro das nossas coletividades que sempre desempenharam um papel importantíssimo nas freguesias…