Opinião

Banner_BrunoRego

Ser “100% Regional” exige orgulho

Penso já não ser desconhecido de ninguém o esforço que alguns habitantes e empresários… cidadãos… da nossa freguesia têm realizado para ativar e manter uma palavra de sensibilização para a importância da aquisição de bens e serviços regionais como forma de auxiliar o desenvolvimento económico da região e assim contribuir para a melhoria da qualidade de vida de todos… de todos nós! O momento de crise que o nosso país atravessa tem vindo a demostrar, uma vez mais, o enorme senso de responsabilidade dos cidadãos na tentativa de ajudar aqueles que mais necessitam. O banco Alimentar é apenas um de muitos exemplos de sucesso. Uma vez mais a freguesia respondeu excelentemente no fim de semana de recolha. Contudo, recuso-me a entender o 100% REGIONAL como mais uma campanha como se de um simples momento se tratasse. Não se fala de solidariedade. Não se fala simplesmente de anticrise. Fala-se de estratégia. Fala-se de objetivos comunitários. Fala-se de percurso. Fala-se de sustentabilidade. Não se fala apenas de presente. Fala-se de futuro! E tanto tem para oferecer a nossa região. Na oferta das nossas gentes predomina a variedade e a qualidade. Porém, apesar de entender a preferência pelos valores da região como uma fórmula de sucesso, recuso-me a considerar a sua imposição. Não há estratégia (seja ela comercial, turística ou cultural) se não existir conhecimento sobre a oferta e orgulho na hora de decidir ou promover. O orgulho que todos sentimos “no que é nosso”, no que é “Alcobacense” tem que ser um sentimento intrínseco. Um expressar que outrora sentia mais forte pelas ruas. Espero que esteja apenas adormecido. Por tudo isto, mais do que convidar à participação e à partilha de uma campanha, fica a proposta para “viajar cá dentro”. Visitar e conhecer, ler e questionar, consultar e avaliar, unir e estruturar, entender e transmitir… sobretudo aos mais novos. Assim será fácil ser empresário, consumidor ou promotor. É um privilégio que todos nós merecemos relativamente a outros. E isto não significa antiglobalização. Significa unir e construir uma força comunitária mais preparada e sólida para enfrentar os desafios. Neste momento, ser Alcobacense exige o orgulho e a atitude que leve à participação. Uma participação que pode ser de todos!

Outras notícias em Opinião

  • O Vaticano e as divindades pagãs

    A ideia de construir um museu nasceu há mais de cinco séculos na cabeça de alguns Papas. A palavra «museu» não existia e, menos ainda,…

  • Princípio da solidariedade

    O princípio da solidariedade é o último dos seis consagrados no Compêndio da Doutrina Social da Igreja (CDSI): ele sintetiza de algum modo os restantes,…

  • O Inferno, o Céu e a oração do rico

    O mês de novembro é dedicado aos mistérios do encontro ou desencontro com Deus. Pode ser um encontro feliz, inesgotável e exultante, ou pode ser…

  • Princípio da participação

    Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas,…

  • O valor do Património Cultural

    “Se destruís o passado, destruís a alma. Ficais sem raízes para corrigir o futuro. Os homens foram notáveis pelo que fizeram de notável”. Palavras colocadas…

  • Princípio da subsidiariedade

    O princípio da subsidiariedade baseia-se na dignidade e autonomia de cada pessoa e família, defendendo que as diferentes organizações privadas, com ou sem fins lucrativos,…

  • Destino Universal dos Bens 2166

    Este é o terceiro princípio fundamental da doutrina social da Igreja (DSI), depois da igual dignidade humana e do bem comum abordados em artigos anteriores…

  • A festa da alegria

    Nestas últimas semanas, a Igreja lançou, em todo o mundo, um projecto renovado de evangelização. Este mês de outubro foi declarado um Mês Missionário Extraordinário,…

  • Rasoamanarivo

    A 7 de setembro, durante a viagem a Moçambique, Madagáscar e República da Maurícia, o Papa fez questão de visitar o túmulo de Victoire Rasoamanarivo,…

  • Francisco e Bento XVI publicam um livro em parceria

    Os autores são Papa Francisco e Bento XVI, o título é “Não façam mal a nenhum destes pequeninos. A voz de Pedro contra a pedofilia”.…