Opinião

Banner_FlemingOliveira

Um exemplo a seguir?

Nestes passados dias da Páscoa andei numa de cultura e turismo pelo Minho.
É unanimemente reconhecido que o nome e a imagem do Centro Histórico de Guimarães, extravasaram as fronteiras com uma subjacente impressiva marca de qualidade.
O reconhecimento e o interesse, nacionais e internacionais, por Guimarães, foi crescendo devido ao rigor dos critérios adotados que, durante alguns anos, a autarquia foi preparando, processando e patrocinando uma intervenção que reabilitou antigas e, quiçá, esquecidas espacialidades. Como lastimo, os autarcas da nossa terra (não sou alcobacense por nascimento, mas por adoção, o que me parece não significar menos), não terem nunca tido essa sensibilidade ou poder para contrariar soluções facilitistas.
Nos últimos anos, a reabilitação de espaços públicos, cedendo a sua forma a novas funções, bem como o apoio técnico e financeiro à iniciativa privada, constituíram as principais linhas estratégicas que nortearam a concretização dos objetivos de intervenção no exemplar Centro
Histórico de Guimarães:
– A preservação e valorização do património construído, cuja autenticidade se entendeu ser necessário manter.
– A reabilitação passou também pela utilização de materiais e técnicas tradicionais.
– O outro objetivo (não o último, mas talvez o primeiro em valia) residiu na manutenção da população residente (entre nós parece que houve o propósito inverso, afugentar-se a população residente ou trabalhadora), dotando-a de melhores condições. Esse trabalho, pelo rigor de intervenção e caráter exemplar, recebeu já variados e prestigiados prémios, nos quais os locais se revêm efetivamente e não apenas na maquete.
Isto significa menos dirigismo das iniciativas públicas e das ações técnicas e regulamentares (ao contrário do que, infelizmente, tem sido corrente noutros pontos do País).
Caro leitor, se puder não perca a oportunidade de ir este ano a Guimarães, não por ser a Capital Europeia de Cultura, mas por ali poder fazer um encontro com o que de mais genuíno existe do ser português.

Outras notícias em Opinião

  • O Inferno, o Céu e a oração do rico

    O mês de novembro é dedicado aos mistérios do encontro ou desencontro com Deus. Pode ser um encontro feliz, inesgotável e exultante, ou pode ser…

  • Princípio da participação

    Cada um de nós faz parte de uma família; e, em maior ou menor grau, faz parte de uma ou mais associações, outras instituições, empresas,…

  • O valor do Património Cultural

    “Se destruís o passado, destruís a alma. Ficais sem raízes para corrigir o futuro. Os homens foram notáveis pelo que fizeram de notável”. Palavras colocadas…

  • Princípio da subsidiariedade

    O princípio da subsidiariedade baseia-se na dignidade e autonomia de cada pessoa e família, defendendo que as diferentes organizações privadas, com ou sem fins lucrativos,…

  • Destino Universal dos Bens 2166

    Este é o terceiro princípio fundamental da doutrina social da Igreja (DSI), depois da igual dignidade humana e do bem comum abordados em artigos anteriores…

  • A festa da alegria

    Nestas últimas semanas, a Igreja lançou, em todo o mundo, um projecto renovado de evangelização. Este mês de outubro foi declarado um Mês Missionário Extraordinário,…

  • Rasoamanarivo

    A 7 de setembro, durante a viagem a Moçambique, Madagáscar e República da Maurícia, o Papa fez questão de visitar o túmulo de Victoire Rasoamanarivo,…

  • Francisco e Bento XVI publicam um livro em parceria

    Os autores são Papa Francisco e Bento XVI, o título é “Não façam mal a nenhum destes pequeninos. A voz de Pedro contra a pedofilia”.…

  • Princípio do «Bem comum»

    A seguir à dignidade humana, o segundo princípio fundamental da doutrina social da Igreja (DSI) respeita ao bem comum, isto é: o conjunto de bens…

  • Perfume de poesia na Igreja Católica

    No próximo dia 5 de outubro, a Igreja passará a contar com mais 13 novos cardeais. Um deles é o português José Tolentino Mendonça, um…